UNG | Ser Educacional
02 Março
ALUNO
Alunas indicam receitas saudáveis e refrescantes para esse calor
Por Maria Christina

Por: Ianka Lima, Laís Oliveira, Vitória Oliveira, 7° semestre do curso de nutrição

No verão, com o aumento do calor e da exposição solar, é importante não esquecermos de nos hidratarmos ao longo do dia, incluindo mais bebidas na nossa alimentação: prefira beber água, cerca de 1,5L por dia, porque a água naturalmente contida nos alimentos, não é suficiente para suprir as necessidades diárias, principalmente, se praticar atividades físicas intensas.

Em contrapartida, deve moderar o consumo de bebidas que contenham cafeína, como é o caso de alguns refrigerantes (incluindo as bebidas energéticas), o café e o chá, não só porque a cafeína possui um efeito diurético, como também porque o açúcar, frequentemente contido em bebidas refrescantes, as torna muito apetecíveis.

A nossa alimentação deve ser variada e deve incluir diariamente pequenas quantidades de vitaminas, indispensáveis ao crescimento normal e a manutenção da saúde, porque o nosso corpo não consegue sintetizar a maior parte delas.

Observação: é importante lembrar que ao levar comida para ingerir fora de casa, o calor promove o crescimento de microrganismos patogênicos, e ou, a produção de toxinas no alimento, cuja ingestão pode provocar toxinfeções alimentares.

 

Sorvete de manga com gengibre

Ingredientes:

2 mangas tommy ou palmer cortadas

2 inhames médios descascados e cortados

2cm de gengibre picado

Modo de Preparo:

Coloque primeiro as mangas, depois o inhame e por último o gengibre. Bata tudo no liquidificador e guarde em um recipiente de plástico. Leve ao freezer por 8 horas ou até congelar.

 

Smoothie de abacate com gengibre

 

Ingredientes:

1 abacate

1 xícara (chá) de gengibre gelado

2 colheres (sopa) de amêndoas em lascas

1 colher (chá) de açúcar de coco

1 pitada de canela em pó (opcional)

Modo de Preparo:

Retire a polpa do abacate com uma colher e bata no liquidificador com os demais ingredientes. Sirva em seguida.

 

 

Salada tropical

Alface lisa

Alface crespa,

Agrião,

Pepino japonês em rodelas,

Tomate cereja,

Brotos de feijão,

Manga em tiras;

Carambola em rodelas.

Para o molho: maracujá, sal, azeite, água e limão.

 

Gelinho de frutas com agua de coco

Ingredientes:

07 morangos em pedações

½ limão siciliano em pedaços

14 folhas de hortelã

Água de coco

Modo de preparo

Espalhe os ingredientes por uma forme de gelo, complete com a agua de coco e leve ao congelador até endurecer.

 

Referências

Receitas disponíveis neste link. Acesso em: 27/02/2018.

CARDO, Ana Beatriz, Receitas de salada tropical. Disponível em: https://www.receiteria.com.br/receitas-de-salada-tropical/. Data de consulta: 27/02/2018.

JORGE, Ricardo; Instituto Nacional de Saúde, revista Auchan_Saúde e Bem-estar_ed. 29 – alimentação saudável em dias de sol; 2016.

Disponível em: http://mundoverde.com.br/receitas/ Acesso em: 27/02/2018.

 

 

29 Janeiro
ENTREVISTA
Aluna do curso de nutrição fala sobre benefícios de alimentos
Por Maria Christina

Texto elaborado por aluna: Suelen Meraio, formanda do curso de nutrição UNG.

Aproveite essa época do início do ano para se deliciar e vitaminar seus dias, com as variedades de alimentos, principalmente de frutas, (o abacate é um deles).Época de alimentos, de valores mais acessíveis, mais frescos e nutritivos. Abaixo, confira esse e outros alimentos da safra deste mês de janeiro.

Abacate e seus benefícios

   O abacate, de nome científico Persea americana Mill, tem origem na América tropical.

   É um fruto macio e carnudo, com textura amanteigada, pois basicamente contém somente ácidos graxos não saturados, e, apenas 70% de água em sua composição.

   Por ter extrema suavidade em paladar é uma fruta versátil sendo utilizada em diversas receitas salgadas e doces.

   É uma ótima fonte de gordura monoinsaturada e contribui para a manutenção dos níveis adequados do (bom) colesterol sanguíneo também previne as doenças cardiovasculares.

   Contém potássio, vitaminas lipossolúveis, do complexo B (principalmente B5 e B6) e C sendo uma boa fonte de energia para o organismo, além de auxiliar na formação de ossos e dentes, também alivia o cansaço mental.

   Seu óleo é rico em ômega 6 e além de ser utilizado comercialmente como o azeite, também é aproveitado nas indústrias farmacêutica e cosmética.

   Esse fruto tem sido reconhecido por seus benefícios à saúde, especialmente em função dos compostos presentes na fração lipídica, como os fitoesteróis (que impedem que uma boa parte da gordura seja absorvida no intestino).

   Por tudo isso, é considerado um incrível alimento funcional.

Cebola

   A cebola é mundialmente consumida e muito utilizada com tempero de outros alimentos na gastronomia. Segundo estudos realizados, apresenta considerável efeito benéfico sobre algumas enfermidades, como, hipertensão, aterosclerose e trombose que provocam alterações patológicas nos vasos sanguíneos e no coração.

   Possui substâncias químicas interessantes para a indústria farmacêutica, como a quercetina; que é um flavonóide natural com poder antiinflamatório e anticarcinogênico, além de atuar nos sistemas cardiovascular, renal e hepático.

   Cada indivíduo consome aproximadamente 7,2 kg de cebola por ano.

   É relativamente rica em cálcio e riboflavina (vitamina B2), vitaminas B1 e B6 também são encontradas. Tem teor mediano de vitamina C, mas destaca-se por conter diferentes minerais: ferro, fósforo, magnésio, potássio, sódio e principalmente selênio.

   O mineral selênio é necessário em quantidade mínima, pois sua deficiência pode causar catarata, distrofia muscular, depressão, doenças cardíacas, entre outras patologias. Uma dieta acrescida de 5% de cebola é suficiente para atingir essa quantidade mínima de selênio, além de contribuir para a redução da pressão sistólica.

   Mas, todos esses princípios ativos têm maior efetividade quando a cebola é consumida crua, pois em aquecimento há perda dos componentes sulfurados. 

 

Alimentos da safra deste mês de janeiro:

Frutas:

Abacate; Abacaxi Havaí; Carambola, Cupuaçu; Figo; Goiaba; Graviola; Jaca; Laranja pera, Limão Taiti; Mamão formosa; Manga Palmer; Maracujá Doce; Marmelo; Nectarina Estrangeira; Pêssego Estrangeiro; Pinha, Pitaia; Sapoti.

Legumes:

Abobrinha Brasileira; Berinjela Japonesa; Beterraba; Jiló; Pimenta Cambuci; Pimentão verde; Quiabo; Tomate; Tomate Salada; Cebola Nacional; Cebola SC.

Verduras:

Alface; Gengibre com folhas; Salsa.

 

Referências:

UNICAMP. Universidade Estadual de Campinas. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – TACO – 4ª edição revisada e ampliada. Campinas, São Paulo, 2011. Disponível em: http://www.unicamp.br/nepa/taco/contar/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf?arquivo=taco_4_versao_ampliada_e_revisada.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Alimentos Regionais Brasileiros. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica – 2ª edição. Brasília, 2015. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/livro_alimentos_regionais_brasileiros.pdf

ALMEIDA, A.; SUYENAGA, E. S. Ação farmacológica do alho e da cebola sobre o sistema cardiovascular: revisão bibliográfica. Nutrire: rev. Soc. Bras. Alim. Nutr. J. Brazilian Soc. Food Nutr., São Paulo, SP, v. 34, n. 1, p. 185-197, abr. 2009. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgibin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=517523&indexSearch=ID

BEHLING, E. B. et al. Flavonóide quercetina: aspectos gerais e ações biológicas. Alim. Nutr, Araraquara, v 15, n3, p.285-292, 2004. Disponível em:

http://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/alimentos/article/view/89/102

http://www.ceagesp.gov.br/wp-content/uploads/2015/05/produtos_epoca.pdf

http://www.ceagesp.gov.br/os-produtos/