UNG | Ser Educacional
11 Maio
AMBIENTAL
Alunos de cursos tecnológicos apresentam projeto
Por João Samarao

Foi apresentado pelos alunos do primeiro período dos cursos tecnológicos, no ateliê do prédio G, da unidade Guarulhos Centro, no dia 10 de maio, o I Projeto de Educação Ambiental e Diversidade Étnico-Racial, promovido pelos cursos de Gestão Financeira, Gestão da Qualidade, Gestão de Recursos Humanos, Gestão Comercial, Comércio Exterior, Logística e Marketing.

Nesta oportunidade, os alunos demonstraram projetos ambientais com materiais recicláveis e étnico-raciais, visando a conscientização do público presente.

17 Abril
ARTIGO DE OPINIÃO
Alunos produzem artigo sobre Operação Carne Fraca
Por Regina Celia

Na disciplina Gestão de Operações em Importações e Exportações, alunos do curso de Comércio Exterior Arthur Marcandali, Eveson Lira, Sophia Landgraf e Thomas Lichtenberger escreveram um artigo de opinião sobre a Operação Carne Fraca, sob orientação do Professor Marcel Andrade Domingues. Confira o resultado na íntegra abaixo:

"Os reflexos da Operação Carne Fraca no comércio exterior

Posteriormente a divulgação de irregularidades nos frigoríficos no Brasil, alguns países importadores como China, União Europeia e Coreia do Sul noticiaram restrições temporárias à entrada de carne brasileira. Consequentemente o Brasil, segundo maior produtor de carne bovina e subsequentemente principal exportador se alerta com os reflexos negativos evidenciados na operação Carne Fraca.

A operação da Policia Federal, intitulada de Carne Fraca, que aconteceu no dia 17/03/2017 investigou um esquema de recebimento de propina por parte de funcionários do Ministério da Agricultura para liberação sem a devida fiscalização de carne para venda. Dentre as irregularidades apuradas, há possibilidade de produtos vencidos e até adulterados terem sido comercializados.

Logo após a divulgação de tais irregularidades, o mercado externo se posicionou de maneira preventiva, e muitos países suspenderam a importação de carne vinda do Brasil. Dentre eles estão os países que mais importam a carne brasileira como Hong Kong 23,90 mil toneladas, China 15,10 mil toneladas e União Europeia 6,5 mil toneladas, dados de fevereiro de 2017.

O reflexo direto dos bloqueios da importação de carne bovina brasileira foi demonstrado nas vendas externas do setor, que no dia 21/03/2017 somou apenas 74 mil dólares, o que corresponde a quase zero perto do movimento habitual do setor que até o dia da divulgação das irregularidades possuía média diária de 63 milhões de dólares. A Associação de Comercio Exterior calcula perda de US$ 2,7 bilhões neste ano, e queda de 20% na exportação do produto.

O prejuízo vai além das perdas de vendas externas, existe a preocupação com os produtos que estão parados nos portos brasileiros e com as cargas que já estão no mar, já que não se sabe se poderão ou não entrar nos países de destino. A União Europeia, por exemplo, anunciou que devolverá ao Brasil os carregamentos das empresas que estejam envolvidas na fraude, já a China por sua vez decidiu reter em seus portos as cargas de carne vindas do Brasil até que esclarecimentos do governo brasileiro sobre as irregularidades sejam avaliadas. O governo federal agiu rápido e entrou em contato com os países que suspenderam a importação, interrompeu as exportações dos frigoríficos investigados e anunciou novo regulamento de inspeção de alimentos.

Quem se beneficia com essas notícias são os países concorrentes na exportação de carne bovina, como a Argentina que vê com grande expectativa a oportunidade de ampliar sua participação no mercado. Situação contrária à ocorrida em 2001, quando a Argentina escondeu um surto de aftosa que após vir à tona, lhe fechou vários mercados pelo mundo. Mas o governo federal brasileiro se apoia na probabilidade dos embargos pelos países importadores durarem pouco tempo, dada à importância do Brasil no mercado internacional e o fato de que não há países que possam suprir a demanda rapidamente.

Diante do cenário apresentado, avalia-se o impacto na credibilidade dos produtos brasileiros exportados, uma vez que os países importadores estudam medidas mais rigorosas para a entrada de mercadorias brasileiras. Uma delas seria o fortalecimento das verificações documentais e físicas. Desse modo não só os grandes exportadores de carne bovina brasileira seriam afetados, mas todo exportador brasileiro sendo ele de pequena, média ou grande empresa. Restando assim a dúvida de quanto tempo levará para que o mercado externo volte a ter confiança na importação de produtos do Brasil e qual será o prejuízo final para o consumidor brasileiro."

04 Janeiro
Ação Ambiental
Alunos de Comercio Exterior promovem Ação de Consciência Ambiental na UNG
Por Regina Celia

Alunos do curso de Comércio Exterior, em parceria com o Clube das Sementes do Brasil , promoveram na UNG ação de Consciência Ambiental e distribuem sementes de árvores .

A ação teve o propósito de abordar a conscientização ambiental dos participantes.